CARREGANDO

Digite para buscar

SEMINÁRIO

Evento debate assédio sexual no audiovisual no RJ

Share

“Um dia de celebração e um marco histórico”. Foram estas as palavras de Debora Ivanov, diretora da Agência Nacional do Cinema (Ancine), sobre o lançamento do Pacto de Responsabilidade Antiassédio Sexual no Setor do Audiovisual no Rio, ocorrido na semana passada, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), dentro do 1º debate antiassédio no setor audiovisual.

Leonardo Edde, presidente do Sindicato da Indústria Audiovisual (Sicav), fez questão de lembrar de que se trata de uma cartilha, não de um conjunto de regras. “Cada empresa vai internalizar à sua maneira. O objetivo é trazer esclarecimentos e mudar uma cultura que é muito grave e ainda está enraizada na sociedade. Isso não é tarefa fácil.”, reconheceu.

Uma das principais colaboradoras na elaboração da cartilha defende o mesmo ponto de vista. Marianna Souza, gerente executiva da FilmBrazil, da Associação Brasileira de Produção de Obras Audiovisuais (Apro), ressaltou que não se trata de uma caça às bruxas, mas sim de uma agenda positiva, a fim de educar e prevenir novos casos e situações constrangedoras.

Também presente no debate, a juíza do trabalho Dra Daniela Müller lembrou da importância de não se calar: “Se queremos combater algo que está enraizado culturalmente desde o Brasil colonial, em que o senhor de engenho tinha acesso ao corpo de escravas, é fundamental não naturalizar o assédio”. A mesa contou ainda com a enumeração de medidas práticas a serem tomadas em casos de assédio, como ter sempre um canal de acolhimento para as possíveis vítimas, guardar provas e buscar orientação jurídica e psicológica.

A especialista em carreiras e trajetórias das mulheres, Silvana Andrade, trouxe dados e casos reais sobre o assunto, além de esclarecer como se cria e se perpetua a cultura do assédio.

Dra Magda Hruza Alqueres, representante do Sicav na elaboração do Pacto, registrou a importância e o ineditismo de um documento realizado pelos sindicatos laboral e empresarial. Além disso, foi a responsável pela aproximação do Sicav com a ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos), que nesta ocasião também se comprometeu – nas figuras do Presidente eleito Sr Paulo Sardinha, e da Presidente eleita da ABRH-Rio Sra Lucia Madeira – a assinar o Pacto.

O evento teve um público diverso de profissionais do setor, técnicos, gestores, empresários, além de profissionais de RH. Foi uma parceria do Sicav, do Sindicato Interestadual dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual (STIC), e da Brasil Audiovisual Independente (BRAVI) e Firjan.

A Cartilha

As principais entidades do audiovisual brasileiro lançam a Cartilha Antiassédio, documento produzido em regime colaborativo que inclui um leque de informações, recomendações de procedimentos ante comportamentos abusivos e boas práticas em casos de ocorrências no ambiente de trabalho e adjacências. A cartilha é fruto dos esforços de um grupo de trabalho surgido a partir da provocação ao setor feita por Antônia Pellegrino (escritora, roteirista e co-fundadora do blog da Folha de SP “Agora é Que São Elas”) e sob liderança da APRO – Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais. Entidades representativas das empresas e dos trabalhadores do segmento se uniram em torno de um Pacto de Responsabilidade Antiassédio no Setor Audiovisual. O objetivo agora é o desenvolvimento de uma série de ações visando orientar e prevenir esse tipo de atitude dentro das produtoras e nos sets de filmagem.

A elaboração da cartilha contou com a participação dos produtores e de um grupo de advogados especialistas em Direito do Entretenimento.

O documento pode ser baixado aqui .

Participaram da formatação da cartilha as entidades do audiovisual APRO (Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais), BRAVI (Brasil Audiovisual Independente), SIAESP (Sindicato das Indústrias Audiovisual do Estado de S. Paulo), SICAV (Sindicato Interestadual da Indústria Audiovisual), SINDCINE (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual dos Estados de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal), SATED -SP, além de representantes das principais lideranças do mercado e de produtoras. Outras entidades tomaram contato com o material e também aderiram ao conteúdo, num esforço de torná-lo cada vez mais representativo de todos os profissionais envolvidos na cadeira produtiva do setor. São elas: ABRAGAMES, ABRAMINA, APACI (Associação Paulista de Cineastas), ABRACI (Associação Brasileira de Cineastas), APROSOM, CONNE (Conexão Audiovisual Centro-Oeste, Norte e Nordeste), FAMES (Forum Audiovisual Minas Gerais, Espírito Santo e Sul/Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

Tags:

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *